quinta-feira, 7 de julho de 2011

Paulo Dias de Novais Fundador de Luanda

"A melhor história é aquela de quem fez a história"   Paulo Dias de Novais Fundador de Luanda (? – Massangano, Angola, 9 de Maio de 1589), era neto de Bartolomeu Dias. Foi escrivão da Fazenda Real e chegou ao rio Cuanza, em Angola, em 1560, com os primeiros missionários jesuítas para ali enviados. Com a viagem, os portugueses pretendiam procurar metais preciosos, mas não tiveram sorte, pois uns foram presos e outros mortos. Paulo Dias de Novais foi libertado em 1566. Regressou a Portugal e pediu a doação de uma capitania nas margens do rio Cuanza, o que lhe foi concedido, por doação de 19 de Setembro de 1571. Partiu novamente para Angola. Em 1575, desembarcou na ilha de Luanda e, um ano depois, fundou São Paulo de Luanda. Prosseguiu a exploração do território e fixou-se em Macunde e, depois, em Massangano.  (via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)   http://carreiradaindia.net/2008/03/protagonistas/paulo-dias-de-novais/ 

4 comentários:

  1. eu agradeço a Deus Por este homem maravilhoso que foi o fundador da nossa linda cidade de Luanda

    ResponderEliminar
  2. Vivi nesta cidade de 1954 a 1975. Sobre a cidade, só digo que foi minha mãe e em simultâneo minha madrasta, e que ficou cravada em mim como um espinho! Foi o período mais feliz da minha vida. Ainda hoje dela me lembro com êxtase! E que feliz que eu sou quando isso me acontece Angola.

    ResponderEliminar
  3. São Paulo de Luanda a Cidade com 434 anos de existência fundada por Paulo Dias deNovais grande Homem Navegador

    ResponderEliminar
  4. Ele não fundou nada. O que ele foi é ser usurpador de história. Como ele próprio disse, quando desembarcou na ilha das cabras ou loanda, lá já havia gente estabelecida. Para além disso, como todo mundo interessado na história sabe, que essa ilha era o local de recolta do Nzimbu, enquanto moeda nacional do Grande Kongo-Dya-Ntotila. Tudo o resto, não são passam de mentiras fabricadas por a'mbundus e os seus mestres portugueses.

    ResponderEliminar